*******

*******
A SAUDADE É A NOSSA ALMA DIZENDO PARA ONDE ELA QUER VOLTAR...

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

"He's got muddy water he's got mojo filter"

He say "I know you, you know me"
One thing I can tell you is you got to be free
Come together right now over me.





Esta quero mesmo muito dançar contigo!

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

All I need... all I want is my Mojo Hand(s)!!!



Don't want no other man!!!

A desejar...


Beijo partido de vidro 
incandescente. 
De cores escorridas 
e pincéis sujos. 
Beijo de papel branco 
No canto jogado. 
Beijo cheio de ausências, 
de cortes e dores, 
De braços cansados. 
Beijo de caminho sem volta, 
de quarto vazio. 
Beijo sem boca, 
Sem corpo, sem custo. 
Beijo no claro e vazio da minha alma 
Que se solta... 
Calma. 

-silvia brito-

domingo, 26 de dezembro de 2010

O senhor do adeus!


"Foi no palacete abandonado junto ao qual João Serra, o “Senhor do Adeus”, todas as noites acenava aos carros que passavam, que surgiu a homenagem que tanta gente tem pedido. Executado emstencil, o trabalho pertence ao grafitter Adres, que tem obra feita noutros pontos de Lisboa, nomeadamente junto à Fábrica de Braço de Prata. Nos últimos dez anos, João Manuel Serra, de 80 anos, espantou a solidão que o atormentava saudando os carros nesta esquina entre o Saldanha e as Picoas. Tornou-se uma figura carismática da capital, a quem os automobilistas respondiam com acenos e buzinadelas. in PÚBLICO"


http://fugaspublico.blogspot.com/2010/12/homenagem-o-senhor-do-adeus-voltou.html

He does... and he will, yes indeed!

Histórias para meninos e meninas que sendo grandes são pequeninos...



O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá
de Jorge Amado

O mundo só vai prestar
Para nele se viver
No dia em que a gente ver
Um maltês casar 
Com uma alegre andorinha
Saindo os dois a voar
O noivo e sua noivinha
Dom Gato e Dona Andorinha”


 O Tempo prometera a Manhã uma rosa azul se a história que ela lhe contasse fosse boa. Era uma história de amor entre o Gato Malhado e a Andorinha Sinhá.
          Gato Malhado era um gato já velho, mal-humorado e muito mau. Um dia, todos os animais do parque fugiram do gato mas uma jovem andorinha permaneceu num galho de uma árvore. Tiveram um pouco a conversar, ou melhor discutir.
          Desde ai, o Gato Malhado só pensava na Andorinha Sinhá e vice-versa. Numa manhã ele passeou pelo parque e os seus pés levaram-no até a casa da Andorinha. A partir daí todos os dias se encontravam para passear e conversar. Já no fim do Verão, o Gato disse a Andorinha que até casava com ela, ao qual ela respondeu que andorinhas não se casavam com gatos. Depois disso, a Andorinha andou desaparecida.
          Andou pela boca dos animais um boato que a Andorinha namorava com o Gato, e todos criticavam ambos.
          Algum tempo mais tarde, já no Outono, o Gato soube que a Andorinha estava de casamento marcado com o Rouxinol,  muito amigo dela. Desde então, o Gato Malhado, passou a andar triste e mal-humorado para todos.
          Revoltado, o Gato matou alguns dos animais que começaram com os boatos.
          Já no Inverno, ocorreu o casamento do Rouxinol com a Andorinha Sinhá. Era tanta a tristeza do Gato Malhado, que ele decidiu caminhar até ao Fim do Mundo. Este viu a Andorinha, pela última vez no casamento, ela também o viu. Na cara dela via-se também tristeza, pois gostara também do Gato, mas fora obrigada a casar com o Rouxinol.
         A Andorinha Sinhá deixou cair uma pétala de rosa do seu buquê sobre Gato, a qual ele colocou  no peito, parecendo uma gota de sangue.
         Quando o gato saiu de lá, a pétala brilhou e encaminhou-o até ao Fim do Mundo.
         Assim, a Manhã recebeu a rosa azul do Tempo.

sábado, 25 de dezembro de 2010

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

O meu espírito natalício...

...sente-se inspirado por si Miss Kitt, acho que falamos a mesma língua!



Não é pedir muito pois não? Fui uma boa menina este ano! Ehehehehehehehe....

Mr. Mojo tu és o meu primeiro interesse!

...e é lindo e especial e extraordinário e fulgurante e descomunal e singular e melhor do que o melhor arroz de polvo do mundo e do que todas as rabanadas que possam ser feitas e dá-me emoções em catadupa e faz-me sentir como se estivesse no meio da mais bela trovoada, onde raios rasgam os céus e deixam uma energia tão boa na barriga, e aquece-me... os pés (sabes como isso é difícil!!!!), ah!!! na realidade o corpo todo e a alma e deixa-me balla balla e com um sorriso parvo e com vontade de me sentar em cima de ti e de colar o meu peito ao teu e perder a noção de tempo e de mundo nessa intensidade que temos, e que nos invade como uma onda quente, saber que sou o teu primeiro interesse também...

Beijos e amor da tua Keatch (a.k.a. Miss Caralho!)

LETTERA AMOROSA


Respiro o teu corpo
sabe a lua-de-água
ao amanhecer,
sabe a cal molhada,
sabe a luz mordida,
sabe a brisa nua,
ao sangue dos rios,
sabe a rosa louca,
ao cair da noite
sabe a pedra amarga,
sabe à minha boca.

Eugénio de Andrade...

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

"The Bridges of Madison County"

"In a universe of ambiguity,
this kind of certainty comes only once,
and never again,
no matter how many lifetimes you live."



"Francesca: And in that moment, everything I knew to be true about myself up until then was gone. I was acting like another woman, yet I was more myself than ever before."




"Francesca: So, do you want more eggs or should we just fuck on the linoleum one last time?"

"Princesas Esquecidas ou Desconhecidas" (assim até gosto mesmo do Natal e dos presentes!)



"Lágrimas:
As lágrimas de princesa são muito procuradas.
Apreciadas no mundo inteiro, as caravanas cruzavam, durante muito tempo, mares e desertos para comercializá-las.
Utilizadas como tinta simpática, permitem escrever as mais doces canções, as mais belas poesias, as mais apaixonadas cartas de amor.
Para as cartas de ruptura e de insultos, deve-se utilizar as lágrimas de crocodilo."




"Sementezinha:

É fundamental esclarecer um boato antigo que afirma que as princesas nascem das rosas!
Apesar da desilusão que lhes podemos causar as crianças de hoje têm de saber a verdade.
Não é por serem crianças que lhes podemos contar qualquer coisa.
Sejamos bem claros.
Para que uma princesa nasça de uma rosa, é preciso, primeiro, introduzir uma pequena semente entre as suas pétalas."

De Philippe Lechermeier e Rebecca Dautremer

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Bombarda 566; Oficinas de artes


"Uma mãe, uma filha e um neto! A mãe Artista Plástica, a filha Actriz, o neto...bom, o neto para já ainda é um bebé! Mas tem sonhos! E tal como o neto, a mãe e a filha também os têm e acreditam que estes são possiveis e que devemos correr atrás, atirarmo-nos a eles com o corpo e alma, abraçá-los e nunca, nunca os largar. E assim nasce o espaço Bombarda566. Um espaço que não tem um conceito único que o defina. Um espaço de artes que se dedica a criar de raíz, sem moldes, onde acreditamos que com imaginação tudo se consegue e que com criatividade tudo se constrói."

http://bombarda566oficinasdeartes.blogspot.com/

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Terrapin from mr. soft voice... makes one sleep better!


Estou...

...aqui.


Toma o meu pescoço e os meus ombros que esperam as tuas mãos... os teus lábios... estou embrulhada em roupa quente de memórias para aquecer a alma.
Preciso de saber, mas não tenhas demasiada pressa, voa por onde tiveres de voar e eu espero-te até ao infinto das vidas que temos de viver...
Se não chegares estarei aqui na mesma a olhar para onde queria ver contigo...
beijo-te

As I sat...