*******

*******
A SAUDADE É A NOSSA ALMA DIZENDO PARA ONDE ELA QUER VOLTAR...

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

URBANIA


“URBANIA WELCOMES YOU. This city was founded after all the other ones. We are happy to have you here. The city doesn’t know you. The city doesn’t need you. But you are welcome here. The city didn’t invite you. But you are welcome here. In the end we will be here again – so then we can start again. In the end you can forget the city, so that you can know the city again. We will repeat this journey as long as the city is here – in order to be sure that the city is here. WELCOME.”
URBANIA is a site-specific performance organized as a guided tour. URBANIA is not a city. Maybe it is the way to move through the city. Or maybe just a particular way to look at it: a lens. A guide will take us. A poetic state is evoked to live this place.
Estreia: quinta-feira, 4 de Março de 2010 às 19:00
5, 6, 9, 10, 11, 12 e 13 de Março de 2010 às 19:00
Direction: Maria Ruostepuro and Alfredo Martins
Performers: Alfredo Martins, Maria Nuutinen, Aarni Korpela, Mia Silvennoinen, Sílvia Silva, Veera Aaltonen
Music: Timo Mäkelä
Video: Eero Pulkkinen
Visualist:Ingvill Fossheim
Graphic Design: Enni Äijälä

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Helsínquia III (Linnanmäki)






Apesar do frio...
O mundo pára quando neva!
É belíssimo...

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

My life...

"I'm grindin' until I'm tired
They say you ain't grindin' until you die
So, I'm grindin' with my eyes wide
Lookin' to find a way through the day
The life of the night
Dear Lord, you took so many of my people
I'm just wondering why you haven't taken my life
What the hell am I doing right?
Na na na na na na na, it goes around the world
Na na na na na na na, it goes around the world"


http://www.youtube.com/watch?v=32vGLI2YOJU


Wish I could be there...
Wish I could help you figure it out...

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Sweet Candy

Oh, Suga'... don't say those things!
Come here and hold me...

Chet Baker - Let's Get Lost

Pleeeeaaaaseeeeee.....

Sunday bloody sunday!


Why are some sundays so fucking boring?!?
The breakfast bit I did, but I can't seem to find any good finnish porn...

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Helsínquia II

Engarrafamento!!!
Há sempre uma pressa enorme para sair dos aviões, levantamo-nos ao mesmo tempo, ansiosos por ar puro, por esticar as pernas, por escapar ao cheiro de comida de microondas, e acabamos todos por ficar em fila indiana, parados, demasiado perto uns dos outros e sem conseguir chegar ao compartimento onde deixamos a mala de mão; só nos resta sorrir para a pessoa da frente que nos calca e para a de trás que calcamos nós.
Quando consigo sair penso no rídiculo que é ter pressa, bem podia esperar que toda a gente saísse do avião, estou presa no aeroporto de Frankfurt durante quatro horas até apanhar o vôo de ligação para Helsínquia; bem concerteza há muito para ver e vou divertir-me imenso a passear por aí (adoro ser crédula)...
Bem; vamos começar o countdown: ligar os telemóveis; mudar a hora, olhar à volta e perceber onde estou - já bebia um café!!! Um a sério não àgua de lavar pratos... o drama do português sem o belo do café expresso!
Fazer o prometido, porque é devido, porque sim, porque também quero... Beijos... Beijos... Beijos... Beijos... Saudades... Já.
A mala de mão está demasiado pesada (chiça que não aprendo nunca... travel light!) mas vou dar uma volta por aí. Tecto baixos, passadeiras eléctricas no meio do corredor para facilitar o andar por aí, daquelas porreiras, estilo metro de Lisboa, onde se deres uma corrida parece que levantas vôo; mas talvez seja melhor controlar isso por aqui, não estou a ver a segurança aqui do sítio a gostar de correrias desenfreadas só por diversão.
Ah! Cá estão os cubículos Camel para fumadores, bem me parecia que me lembrava de algo do género; humm; ali nem preciso de fumar, basta entrar e snifar um bocado à volta que já acaba com qualquer traça que se tenha. Entro, ajudo um senhor que está cá fora a perceber como se entra e que me diz alguma coisa em alemão, sorrio, não tenho coragem de lhe dizer que não percebo; fumo, enjoo-me, saio antes do fim do cigarro; ok e agora?
Ando... Ando... Ando... Ando... Lojas: de marca, de revistas (encontro uma Maria entre as publicações internacionais!!! De todas as revistas possíveis logo esta?), carteiras, malas, óculos de sol, óculos normais, bebidas, cremes de beleza, perfumes, saldos, álcool, sandes, yada, yada, yada...Páro para tomar café (só há mesmo àgua de lavar pratos), comer alguma coisa... Rai's partam os preços... Olho para as horas no telemóvel convencida que já passou imenso tempo; uma hora, SÓ!!!! Ai, mais três pela frente (pior será a volta; em vez de quatro são seis horas e meia de espera em Frankfurt, se ao menos o aeroporto fosse outro, novo para descobrir!!! Oh Santo protector das viagens low cost dá-me forças!). Parece que é desta que acabo o livro que ando a renegar nos últimos meses, ou talvez não, detesto ler quando estou impaciente, não apanho nada. Já se vê.
Nunca tinha viajado entre aeroportos sozinha, por isso só agora me apercebo da irmandade de solitários que habita dentro do micro-universo que é o aeroporto, este limbo onde o tempo congela e se ouve o silêncio por trás do ruído das vozes, das malas de rodinhas, dos aviões e dos altifalantes que clamam constantemente por passageiros separados da sua passagem. Somos muitos, viajantes acidentais, ocidentais, orientais, em trabalho, em lazer; excluídos dos grupos, sem par amoroso, sem um irmão que nos acompanhe, que fale connosco nas horas de espera, que nos ature, então o que acontece é bonito, é como beber um chocolate quente numa noite fria de Inverno; criam-se micro-ligações entre nós, não há exactamente conversas, conhecimentos profundos do género vamos trocar número, email e vem ser o padrinho do meu primogénito, mas sorrimo-nos, trocamos duas ou três palavras, olhares de entendimento, asseguramo-nos uns aos outros que não estamos sozinhos, que o tempo não parou e que daqui a nada estamos fora daqui; e que esta sensação nem boa nem má, entorpecedora só, vai passar; pelo menos o tempo fica menos pesado.
Começo a ficar cansada, com calor, apetece-me deitar neste sofá de café e dormir um bocado, tento ler, olho para as pessoas, sorrio, observo, tiro fotos, tento ler, olho para as pessoas, tiro fotos, observo, sorrio, fico impaciente, tiro mais fotos, olho para as pessoas, sorrio menos, tento ler... e consigo, fico dentro do livro desta vez.
Acordo.
Beijos... Beijos... Beijos... Beijos... Saudades. Sabes que estou impaciente e aborrecida? Sim... está quase.
Ainda me falta hora e meia, decido dar mais uma volta, procurar o portão de embarque... estúpida; paguei um balúrdio para beber àgua suja e há máquinas onde se pode beber a mesma àgua de lavar pratos de borla, devias ter-te lembrado disso... Live and learn baby... and never forgett!
Um último encontro antes de embarcar, (50 minutes to go!!!!) um casal finlândes, sorridente, dos seus 50 e muitos, gostam de me ver a cantar com os auscultadores enfiados nos ouvidos, sorriem muito, sorriem-me muito, mostram-me outra vez a máquina do café, devo estar com ar de quem precisa de cafeína. Tento ler uns jornais ingleses, pouca coisa me dizem, desisto e fico-me pela música; Florence and The Machine saved my last minutes and maybe my sanity!
EMBARQUE!!!! Yuppi...
Mal entro e me sento adormeço automaticamente; quase doze horas em aeroportos cansam as meninas encaloradas com malas pesadas; acordo um tempo depois com o cheiro a comida de microondas; desta vez ainda é pior que da outra, nem vou descrever para não impressionar estômagos sensíveis; mas a sobremesa é porreira e deixa-me logo contente: waffer da Milka... Gulosa até dizer chega, a catraia! Fico um bocado acordada e finalmente acabo o meu livro fixo-me uns minutos nas últimas palavras e volto a dormecer (que sensibilidade a minha).
Acordo com o rebuliço de aterragem iminente!
Vistos de cima eles são brancos, brilhantes... de sonho...
Estou a aterrar no Natal! UAU!!!!
Nem que seja só por isto já valeu a pena...

domingo, 7 de fevereiro de 2010

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Helsínquia

9h30 da manhã, aeroporto; mala carregada e pesada de meias e de camisolas grossas (18kg, por pouco)... já não vinhas aqui há muito tempo. Sim, separaram as partidas das chegadas, faz sentido, andamos todos de um lado para o outro, mas em sentidos diferentes, certo, não nos queremos confundir e voltar a entrar de onde saímos, ou sair por onde entramos, certo? Sim, gostava de confundir a partida, pensa-la já como chegada, mas não posso, as indicações são claras... Como consolo penso, pensa, que também não vou confundir a chegada, nem vou querer.
Balcão nº..., check-in (as meninas estão preocupadas com o emprego: -Eles querem que o check-in se faça na máquina, estão a substituir-nos! - Mas as máquinas não sorriem.), lugar de janela, frente, está despachado; pequeno-almoço?... meia de leite, misturo os nervos e excitação, mexo bem e trinco o croissant intragável a preço inominável, ...da-se!!! Achas normal? Não importa, olha para mim, quero ver-te. Cigarro?
É mesmo aquele o meu portão... Está na hora... Vejo-te, até ao limite, até descer para subir... sms em Frankfurt, prometo; sim no final também, prometo, talvez amanhã já tenha número de lá; vai ser rápido, passar num instante, um mês e meio... só... vejo-te... levo-te... beijos para a Piru; beijos... beijos... beijos... beijos... Fui.
Música?!? Duas guitarras, dois homens de cabeça baixa a despedirem-se de estranhos a cada acorde; que travo estranho; executivos, mães, bébes, turistas, artistas, perdidos, eu, perco a música depressa, desculpem, estou a pensar noutras coisas; quando me lembro e olho outra vez já desapareceram... Ups! Fica para a chegada, para outra vez, para um dia destes, logo se vê.
É agora!
Beijos...
Fasten your seat belts, keep them fastened and keep seated until the ligth for the belt is out!.
We're rolling baby!
Frio no estomâgo... Adoro a sensação da subida, a perspectiva, a dúvida (como é possível isto manter-se no ar?), o mar; vistos de cima somos azuis e verdes; quero ler, mas estou inquieta, vou tentar dormir, talvez não vem aí uma menina com comida (Humm! Massa com tomate e courgette sobre-aquecida!), coca-cola e café por favor; desculpe senhor do lado? Ah, Andrea, André em português, claro!... não me apetece conversar, estou inquieta, mas obrigado pela ajuda com a mala, não quero parecer antipática, mas agora não; pronto vou fazer de conta que durmo e durmo mesmo, estou onde quiser a dormir; mas, acordo; ah, avião, faz todo o sentido, está quase, outra vez.
Descida, Frankfurt; vistos de cima eles têm tons de castanho, cinza e branco - Dankeschön!
Quatro horas de espera até ao voo para o destino final...
Beijos.... Beijos... Beijos... Beijos...
(to be continued)

George Michael - Father Figure

The first lesson...

Pet Shop Boys - Domino Dancing (2003 Digital Remaster)

My first notion of sexyness...